"Fui ordenada a mudar informe do voo da Chapecoense", diz funcionária boliviana

Refugiada no Brasil, a boliviana funcionária da Administração de Aeroportos e Serviços Auxiliares à Navegação Aérea (Aasana) em Santa Cruz de la Sierra, publicou carta nesta quinta-feira em que afirma ter sofrido pressão de seus chefes para modificar o informe que tinha realizado para apontar irregularidades no voo que transportaria a Chapecoense. Celia Castedo garantiu ter feito cinco observações no plano de viagem da LaMia, companhia boliviana que transportava a equipe.

O conteúdo da carta foi divulgado na íntegra pelo jornal El Deber. No voo, realizado na madrugada de segunda para terça-feira da última semana, a aeronave não teve combustível suficiente para pousar em Medellín, na Colômbia, e caiu a poucos quilômetros da chegada. "Fui submetida a pressões e perseguições por parte dos meus superiores desde a manhã do dia 20, quando se começa tudo, sendo ordenado para mim modificar o conteúdo do informe que horas antes minha pessoa tinha apresentado internamente", escreveu.

Celia procurou refúgio em Corumbá (MS) por temer acusações e ameaças em seu país. O voo causou a morte de 71 pessoas, 19 delas jogadores da Chapecoense. O elenco fez escala em Santa Cruz de la Sierra, de onde partiu em avião fretado para o noroeste da Colômbia, onde jogaria a primeira partida da final da Copa Sul-Americana, contra o Atlético Nacional.

A funcionária afirmou que pelo cargo que ocupa, não tem autoridade para deter ou impedir a saída de aeronaves. "Devo esclarecer também que o carimbo e a minha assinatura estampadas no citado plano de voo representam um protocolo de recepção do documento", afirmou. Ela escreveu que a responsabilidade final sobre as viagens recai sob a Direção Geral da Aeronáutica Civil da Bolívia (DGAC).

Celia atribuiu a manutenção do relatório ao despachante Alex Quispe, uma das vítimas da queda. Segundo a funcionária, o colega lhe disse que a decisão foi tomada pelo capitão da aeronave. "Ficou demonstrada a intransigência da linha aérea para atender as observações feitas pela minha pessoa", disse.

A boliviana comentou que por ter sofrido pressões em seu país, como a presença obrigatória em uma audiência, pede à opinião pública que compreenda os motivos de ter fugido ao Brasil, onde pediu asilo. "Ao mesmo tempo, desejo expressar meus sentimentos de profunda dor e pesar aos familiares e amigos das vítimas do acidente aéreo do voo LMI2933", afirmou.

Outras Notícias

Frio se intensifica nesta quarta no Rio Grande do Sul

O frio continua predominando no Rio Grande do Sul nesta quarta-feira. De acordo com a MetSul Meteorologia, a instabil...

Arthur é novidade entre os relacionados do Grêmio para enfrentar o Palmeiras

O volante Arthur está novamente à disposição de Renato Portaluppi. O jogador, que sofreu uma lesão muscular no Gre-Na...

Em jogo fraco, Inter e São Paulo empatam por 0 a 0 no Morumbi

O Inter empatou em 0 a 0 com o São Paulo no Morumbi na noite desta terça-feira na abertura da 10ª rodada do Brasileir...

AL rejeita projeto para plebiscito para discutir privatização de estatais

A Assembleia Legislativa (AL) rejeitou a PL 69/2018 do Poder Executivo que discutia a possibilidade da realização de ...

Dezenas de placas são arrancadas por vândalos na Estrada São Jacó, em Sapiranga

Sapiranga – Mais de 25 placas de sinalização da Estrada São Jacó foram arrancadas no último final de semana. O vandal...

Polícia tenta desvendar morte de sapiranguense encontrado em Novo Hamburgo

Sapiranga/Novo Hamburgo – Um jovem, de 27 anos, foi encontrado morto no último sábado (2) na Praça Pedro Alles, bairr...

Seleção treina hoje na Inglaterra, na preparação para a Copa

Depois de uma segunda-feira de trabalho intenso na parte da tarde, no Centro de Treinamento do Tottenham, em Londres,...

Inter vive semana para consolidar boa fase

De agora até a Copa do Mundo, não há tempo para descanso. Serão cinco partidas em apenas 13 dias, quando o Campeonato...

Jogo contra Fluminense ganha caráter decisivo para o Grêmio

São cinco jogos até a parada da Copa do Mundo. Quinze pontos em jogo dos quais nove o Grêmio disputará em sua casa. E...

Filas, filas e mais filas em postos de combustíveis de Sapiranga e Campo Bom

Sapiranga / Campo Bom – A grande “saga” por gasolina já dura pelo menos 12 horas nesta segunda-feira (28) nos dois mu...