Fachin nega pedido de prisão de Aécio e caso não irá ao plenário do STF

O ministro Edson Fachin, relator da Operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), negou nesta quinta-feira (18) o pedido de prisão do senador Aécio Neves (PSDB-MG) e decidiu não levar a decisão sobre ao assunto ao plenário do STF.

O caso só será levado ao plenário se o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, autor do pedido, recorrer da decisão de Fachin. Na manhã de hoje, ele teria conversado por cerca de uma hora com a presidente do Supremo, ministra Carmen Lúcia.

Antes, o relator já havia determinado o afastamento de Aécio do mandato, o que o impede de votar no Congresso e de fazer qualquer outro ato como parlamentar. O ministro também apreendeu o passaporte do senador tucano e o proibiu de ter contato com outros investigados.

Uma sessão do Supremo está marcada para a tarde de hoje. Dos 11 ministros, só não deverão comparecer Luís Roberto Barroso, que está em Londres, e Gilmar Mendes, que chega a Brasília à noite, vindo de São Petersburgo, na Rússia.

Durante a manhã, as residências de Aécio em Brasília, no Rio de Janeiro, em Minas Gerais, além de seu gabinete no Congresso, foram alvo de mandados de busca e apreensão autorizados por Fachin. Também foi expedido um mandado de prisão contra a irmã do senador, Andréa Neves, que foi cumprido em Belo Horizonte.

Também foram alvo da operação os gabinetes senador Zezé Perrela (PSDB-MG) e do deputado federal Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR), que teria sido escolhido pelo presidente Michel Temer para intermediar uma negociação com a JBS, conglomerado do ramo alimentar pertencente aos irmãos Joesley e Wesley Batista.

Na noite de ontem (17), o jornal O Globo divulgou detalhes da delação premiada de Joesley, nas quais Aécio aparece pedindo R$ 2 milhões ao empresário para pagar sua defesa na Lava-Jato, em encontro no Hotel Unique, em São Paulo, em 24 de março. O senador afirmou que o criminalista Alberto Toron o defenderia.

O pedido de ajuda foi aceito e Joesley questionou quem seria o responsável por pegar as malas com o dinheiro, sugerindo que Aécio as retirasse pessoalmente. Aécio afirmou que mandaria alguém de sua confiança e que o empresário deveria fazer o mesmo. “Tem que ser um que a gente mata ele antes de fazer delação. Vai ser o Fred com um cara seu. Vamos combinar o Fred com um cara seu porque ele sai de lá e vai no cara. E você vai me dar uma ajuda do caralho”, respondeu Aécio segundo o jornal.

Fred seria, segundo O Globo, o um primo de Aécio chamado Frederico Pacheco de Medeiros, que foi diretor da Cemig, nomeado pelo senador Aécio e um dos coordenadores de sua campanha a presidente em 2014.

O dinheiro foi entregue a Fred pelo diretor de Relações Institucionais da JBS, Ricardo Saud, segundo o jornal. Ao todo foram quatro entregas de R$ 500 mil. A Polícia Federal teria filmado uma delas. O dinheiro, no entanto, não foi repassado a advogado algum, segundo as investigações, mas sim para Mendherson Souza Lima, secretário parlamentar do senador Zeze Perrella (PMDB-MG).

Mendherson por sua vez teria levado o dinheiro de carro para Belo Horizonte, em três viagens. Ele teria negociado para que o dinheiro fossem para a empresa Tapera Participações Empreendimentos Agropecuários, de Gustavo Perrella, filho de Zeze Perrella.

Outras Notícias

Em artigo no jornal The New York Times, pesquisador diz que vale tudo no judiciário para tirar Lula da eleição

Edição desta sexta-feira, 26, do jornal The New York Times traz artigo do pesquisador Hernán Gómez Bruera, especializ...

CUT-RS reforça vigília contra pacote de maldades de Sartori na Praça da Matriz nesta segunda

A CUT-RS convoca os trabalhadores a participar da vigília, junto com o CPERS e o Movimento Unificado dos Servidores (...

Movimentos sociais começam a montar acampamento em Porto Alegre para acompanhar julgamento de Lula

Sul21 – Os movimentos que integram Frente Brasil Popular iniciaram na tarde deste domingo (21) a montagem da estrutur...

Mais de 200 caravanas de todo o País já confirmaram presença em POA

Caravanas de todos os cantos do Brasil começaram a se organizar para ocupar Porto Alegre! São professores e professor...

Tasso diz que Aécio o destituiu por diferenças éticas e pressão do Planalto

Destituído da presidência nacional do PSDB, o senador Tasso Jereissati (CE), recém-lançado candidato a assumir o coma...

CUT-Vox mostra Temer com 3% de avaliação positiva

Para 84% dos brasileiros, o Brasil está na direção errada. Essa é uma das principais constatações da nova rodada da p...

A CUT-RS e centrais sindicais realizam nesta sexta-feira (10) um dia nacional de paralisação e mobilização, às vésperas do início da vigência em 11 de novembro da lei 13.467, a chamada “reforma” traba

A CUT-RS e centrais sindicais realizam nesta sexta-feira (10) um dia nacional de paralisação e mobilização, às vésper...

Fux desafia direito, antecipa posição sobre 2018 e é criticado

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luiz Fux fez uma declaração polêmica ao antecipar, no último domingo (5)...

Chanceler brasileiro defende maior cooperação econômica entre os Brics

O ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes, defendeu nesta segunda-feira, em Pequim, um aprofundamento da coop...

Em recurso ao plenário do STF, Janot volta a pedir prisão de Aécio e Rocha Loures

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu novamente nesta segunda-feira (22) ao Supremo Tribunal Federal ...