Emprego informal cresce e vagas com carteira diminuem

A taxa de desemprego ficou em 12,2% no trimestre encerrado em janeiro, estável em relação ao período fechado em outubro e um pouco menor na comparação com um ano antes (12,6%), segundo o IBGE. O país tem estimados 12,689 milhões de desempregados, menos 231 mil em 12 meses. Contudo, as vagas abertas seguem sendo direcionadas ao trabalho informal.

De acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua, em um ano 1,617 milhão de pessoas entraram na força de trabalho, enquanto o mercado criou 1,848 milhão de vagas, resultando na diminuição de 231 mil desempregados. Mas, ainda na comparação com janeiro de 2017, essas vagas vêm, basicamente, do trabalho por conta própria e do emprego sem carteira: 986 mil (4,4%) e 581 mil (5,6%), respectivamente.

A ocupação também aumentou nesse período no serviço público (317 mil) e no doméstico (267 mil), de menor remuneração. O emprego com carteira fechou 562 mil postos de trabalho, queda de 1,7%.

Um ano atrás, os empregados com carteira assinada no setor privado (33,296 milhões) eram 37,7% dos ocupados – agora, representam 36,3%. Os sem carteira (10,987 milhões) passaram de 11,6% para 12% e os autônomos (23,182 milhões), de 24,7% para 25,3%.

Entre os setores, também em 12 meses, cresceu a ocupação na indústria (558 mil, 5%) e em algumas atividades de serviços. Houve queda na construção civil (281 mil, -4%).

Estimado em R$ 2.169, o rendimento médio ficou estável. A massa de rendimentos (R$ 193,8 milhões) cresceu 3,6%.

A taxa na região metropolitana de São Paulo foi de 16,2% em janeiro (17,1% em igual mês de 2017), segundo a pesquisa da Fundação Seade e do Dieese. O número de desempregados foi estimado em 1,758 milhão, menos 125 mil em um ano. Essa redução não vem da criação de vagas, mas da saída de pessoas à procura de trabalho. O rendimento médio dos ocupados foi estimado em R$ 2.033, queda de 2,1%.

Entre as regiões, a taxa foi maior na chamada sub-região leste, que inclui municípios como Guarulhos, Arujá, Suzano e Mogi das Cruzes: 18,6%. Também ficou acima da média na sudeste, onde se localiza o Grande ABC (17,4%). Foi menor na capital (15,6%).

O Ministério do Trabalho não divulgou os dados de janeiro do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). Normalmente, os resultados são divulgados entre os dias 20 e 25 do mês seguinte. A pasta diz que ainda não há previsão de quando isso irá ocorrer.

Outras Notícias

Em artigo no jornal The New York Times, pesquisador diz que vale tudo no judiciário para tirar Lula da eleição

Edição desta sexta-feira, 26, do jornal The New York Times traz artigo do pesquisador Hernán Gómez Bruera, especializ...

CUT-RS reforça vigília contra pacote de maldades de Sartori na Praça da Matriz nesta segunda

A CUT-RS convoca os trabalhadores a participar da vigília, junto com o CPERS e o Movimento Unificado dos Servidores (...

Movimentos sociais começam a montar acampamento em Porto Alegre para acompanhar julgamento de Lula

Sul21 – Os movimentos que integram Frente Brasil Popular iniciaram na tarde deste domingo (21) a montagem da estrutur...

Mais de 200 caravanas de todo o País já confirmaram presença em POA

Caravanas de todos os cantos do Brasil começaram a se organizar para ocupar Porto Alegre! São professores e professor...

Tasso diz que Aécio o destituiu por diferenças éticas e pressão do Planalto

Destituído da presidência nacional do PSDB, o senador Tasso Jereissati (CE), recém-lançado candidato a assumir o coma...

CUT-Vox mostra Temer com 3% de avaliação positiva

Para 84% dos brasileiros, o Brasil está na direção errada. Essa é uma das principais constatações da nova rodada da p...

A CUT-RS e centrais sindicais realizam nesta sexta-feira (10) um dia nacional de paralisação e mobilização, às vésperas do início da vigência em 11 de novembro da lei 13.467, a chamada “reforma” traba

A CUT-RS e centrais sindicais realizam nesta sexta-feira (10) um dia nacional de paralisação e mobilização, às vésper...

Fux desafia direito, antecipa posição sobre 2018 e é criticado

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luiz Fux fez uma declaração polêmica ao antecipar, no último domingo (5)...

Chanceler brasileiro defende maior cooperação econômica entre os Brics

O ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes, defendeu nesta segunda-feira, em Pequim, um aprofundamento da coop...

Em recurso ao plenário do STF, Janot volta a pedir prisão de Aécio e Rocha Loures

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu novamente nesta segunda-feira (22) ao Supremo Tribunal Federal ...